dinâmicas para integração "quebrando o gelo";)

dinâmicas para integração "quebrando o gelo";)


Dinâmicas Quebra-Gelo (descontração)

A construção coletiva do rosto

Objetivos: Fazer com que os membros do grupo sintam-se à vontade uns com os outros.


Aplicação:


a) Orientar os participantes para sentarem em círculo;

b) O assessor distribui para cada participante uma folha de papel sulfite e um giz de cera;

c) Em seguida orienta para desenhar o seguinte:

- uma sombrancelha somente;

- passar a folha de papel para as pessoas da direita e pegar a folha da esquerda;

- passar novamente;

- desenhar um olho;

- passar novamente;

- desenhar o outro olho;

- passar a direita e... completar todo o rosto com cada pessoa colocando uma parte (boca, nariz, queixo, orelhas, cabelos).

d) Quando terminar o rosto pedir à pessoa para contemplar o desenho;

e) Orientar para dar personalidade ao desenho final colocando nele seus traços pessoais;

f) Pedir ao grupo para dizer que sentimentos vieram em mente.

E boa também

Tornar os membros do grupo conhecidos rapidamente, num ambiente relativamente
pouco inibidor.

Como Fazer:

1- Cada um recebe uma folha com o título: "Quem sou eu?"

2- Durante 10 minutos cada um escreve cinco itens em relação a si mesmo, que
facilitem o conhecimento.

3- A folha escrita será fixada na blusa dos participantes.

4- Os componentes do grupo circulam livremente e em silêncio pela sala, ao som
de uma música suave, enquanto lêem a respeito do outro e deixa que os outros
leiam o que escreveu a respeito de si.

5-Logo após reunir 2 a 3 colegas, com os quais gostariam de conversar para se
conhecerem melhor. Nesse momento é possível lançar perguntas que ordinariamente
não fariam.

Avaliação:

1- Para que serviu o exercício?

2- Como nos sentimos?

Caça ao tesouro

Objetivo: ajudar as pessoas a memorizarem os nomes umas das outras, desinibir, facilitar a identificação entre pessoas parecidas.


Para quantas pessoas: cerca de 20 pessoas. Se for um grupo maior, é interessante aumentar o número de questões propostas.


Material necessário: uma folha com o questionário e um lápis ou caneta para cada um.


Descrição da dinâmica: o coordenador explica aos participantes que agora se inicia um momento em que todos terão a grande chance de se conhecerem.


A partir da lista de descrições, cada um deve encontrar uma pessoa que
se encaixe em cada item e pedir a ela que assine o nome na lacuna.


1. Alguém com a mesma cor de olhos que os seus;

2. Alguém que viva numa casa sem fumantes;

3. Alguém que já tenha morado em outra cidade;

4. Alguém cujo primeiro nome tenha mais de seis letras;

5. Alguém que use óculos;

6. Alguém que esteja com uma camiseta da mesma cor que a sua;

7. Alguém que goste de verde-abacate;

8. Alguém que tenha a mesma idade que você;

9. Alguém que esteja de meias azuis;

10. Alguém que tenha um animal de estimação (qual?).


Pode-se aumentar a quantidade de questões ou reformular estas, dependendo do tipo e do tamanho do grupo.



Obs.: A dinâmica foi tirada do subsídio “Dinâmicas em Fichas” - Centro de Capacitação da Juventude (CCJ) - São Paulo.
Site na internet: http://www.ccj.org.br

Dinâmicas Quebra-Gelo (descontração)

Dois círculos

Objetivo: motivar um conhecimento inicial, para que as pessoas
aprendam ao menos o nome umas das outras antes de se iniciar uma
atividade em comum.


Para quantas pessoas: é importante que seja um número par de pessoas. Se não for o caso, o coordenador da dinâmica pode requisitar um “auxiliar”.


Material necessário: uma música animada, tocada ao violão ou com gravador.


Descrição da dinâmica: formam-se dois círculos, um dentro do
outro, ambos com o mesmo número de pessoas. Quando começar a tocar a
música, cada círculo gira para um lado. Quando a música pára de tocar,
as pessoas devem se apresentar para quem parar à sua frente, dizendo o
nome e alguma outra informação que o coordenador da dinâmica achar
interessante para o momento.


Repete-se até que todos tenham se apresentado. A certa altura pode-se,
também, misturar as pessoas dos dois círculos para que mais pessoas
possam se conhecer.



Fonte: A dinâmica foi retirada do livro “Aprendendo a ser e a conviver” - de Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro, Editora "FTD", 1999.

Descobrindo a quem pertence

Desenvolvimento:


1. O facilitador divide o grupo em duas metades.


2. Uma metade do grupo dá ao facilitador um objeto de uso
pessoal. O facilitador mistura os objetos e os distribui pela outra
metade, que sai à procura de seus donos. Não é permitido falar.


3. Ao encontrar o dono do objeto recebido, forma-se par com ele.


Obs.: Esta atividade objetiva, também, estabelecer as relações no
grupo. É divertida e usa a curiosidade do grupo como detonadora de uma
busca. Pode ser feita no início de um grupo e repetida sempre que se
deseja um clima mais descontraído.



Fonte: A dinâmica foi retirada do livro “Aprendendo a ser e a conviver” - de Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro, Editora "FTD", 1999.

Quanto tempo eu tenho

Objetivo: Provocar a saíde de si mesmo (desinibição) e conhecimento do outro.
 

Material: Som com música alegre, caixa de fósforos, um cartaz ou
fichas - nomes, de onde é, de que mais gosta, uma alegria, uma tristeza
etc. (Pode-se criar outras conforme o objetivo proposto).


Desenvolvimento:


1. Todos, em círculo, o facilitador distribui um palito de
fósforo, não usado. As fichas devem estar em lugar visível (pode ser no
centro do círculo).


2. Pedir a um participante que risque o fósforo. Enquanto o fósforo estiver aceso, vai se apresentando, falando de si.


3. Cuidar para que ele fale só o tempo em que o fósforo estiver
aceso. Caso alguém não consiga, o facilitador, poderá usá-lo para que os
outros façam perguntas (pessoais) como numa entrevista.


4. Outra variante é fazer com que os participantes conversem em
dupla e depois utilizem o fósforo para falar o que conhece do
companheiro.


5. Usar a dinâmica para perguntar: que significa amizade ou ainda, para revisar qualquer disciplina.


Discussão:  Conseguimos expressar os pontos mais importantes na
nossa apresentação? Como me senti? É fácil falar de nós mesmos? O que
significa um fósforo aceso? (marcando tempo) O que significa o fogo?
(iluminando).


Resultado esperado: Ter feito uma reflexão sobre o tempo que
estamos na terra e o que podemos ser para os outros. A maneira como eu
utilizo o fósforo é a nossa própria vida. Analisar todas as situações
que aparecem durante a dinâmica.



Fonte: Ronildo Rocha, Catolé do Rocha, PB.
Ender

JOGO COMUNITÁRIO

Objetivos:

ao mesmoDescontrair e  tempo ajudar a memorizar o nome dos outros
participantes.

Material: uma flor.

Como Fazer:

1. Os participantes sentam-se em círculo e o animador tem uma flor na mão. Diz
para a pessoa que está à sua esquerda : "Senhor... (diz o nome da pessoa),
receba esta flor que o senhor...(diz o nome da pessoa da direita) lhe enviou...
" E entrega a flor.

2. A pessoa seguinte deve fazer a mesma coisa.

3. Quem trocar ou esquecer algum nome, passará a ser chamado pelo nome de um
bicho. Por exemplo, gato.

4. Quando tiverem que se referir a ele, os seus vizinhos, em vez de dizerem seu
nome, devem chamá-lo pelo nome do bicho.

5. O animador deve ficar atento e não deixar os participantes entediados.
Quanto mais rápido se faz a entrega da flor, mais engraçado fica o jogo.

eço eletrônico: ronildorocha@yahoo.com.br

 

EXERCÍCIO DA CONFIANÇA

Objetivos:

Acelerar o processo de conhecimento mútuo no grupo; estudar as experiências da
própria descoberta; desenvolver a autenticidade no grupo; dar a todos a
oportunidade de falar e de escutar.

Material:

Papel com perguntas para serem respondidas em público por cada membro.

Como Fazer:

1. O coordenador faz uma breve introdução do exercício, falando sobre a
descoberta pessoal e a importância do exercício.

2. Distribuir, uma papeleta para cada um; um a um, os participantes lerão a
pergunta que estiver na papeleta, procurando responder com toda sinceridade;

3. No final, segue-se um debate sobre o exercício feito.

Exemplos de
pergunta:


a) Qual o seu hobby predileto ou como você preenche o seu tempo livre

b) Que importância tem a religião na sua vida

c) O que mais o aborrece

d) Como você encara o divórcio

e) Qual a emoção é mais difícil de se controlar

f) Qual a comida que você menos gosta

g) Qual o traço de personalidade que lhe é mais marcante

h) Qual é, no momento, o seu maior problema

i) Na sua infância, quais foram os maiores castigos ou críticas recebidas

j) Quais são seus maiores receios em relação a vivência em grupo

k) Qual é a sua queixa em relação à vivência em grupo

l) Quem do grupo você escolheria para com ele passar suas férias

m) Você gosta mais de viver numa casa ou num apartamento

n) Qual o país que você gostaria de visitar

o) Quais são algumas das causas da falta de relacionamento entre alguns pais e
filhos

 

TROCANDO CRACHÁS

Objetivos:

Facilitar a memorização dos nomes e um melhor conhecimento entre os
integrantes.

Material:

Crachás com os nomes dos integrantes.

Como Fazer:

1. O coordenador distribui os crachás aos respectivos integrantes.

2. Após algum tempo recolhem-se os crachás e cada um recebe um crachá que não
deve ser o seu.

3. Os integrantes devem passear pela sala a procura do integrante que possui o
seu crachá para recebê-lo de volta.

4. Neste momento, ambos devem aproveitar para uma pequena conversa informal,
onde procurem conhecer algo novo sobre o outro integrante.

5. Após todos terem retomado seus crachás, o grupo deve debater sobre as
diferentes reações durante a experiência.

 

TRENZINHO

Objetivos:

Fazer com que as pessoas memorizem os nomes umas das outras.

Como Fazer:

1. Durante um curto tempo as pessoas podem andar pela sala relembrando o nome
de todos os participantes do grupo e reparando em pelo menos uma qualidade de
cada um.

2. Passado esse tempo, um dos coordenadores, identificado como locomotiva, sai
correndo em volta da sala e diz o nome e qualidade de alguém, que se prende a
locomotiva chamando outra pessoa pelo nome e destacando uma qualidade.

3. Segue-se até formar o trem com todos participantes.

 

FAZENDO COMPRAS

Objetivos:

Para descontração e memorização de nomes de todos do grupo.

Como Fazer:

1. Todos estão sentados em círculos e o coordenador, em pé, diz: Fui fazer
compras com... (e diz o nome de várias pessoas do grupo).

2. De repente, acrescenta: Não tenho mais dinheiro.

3. Quem teve o nome citado deve trocar de lugar rapidamente e o coordenador se
senta entre eles.

4. Alguém ficará sem lugar, em pé. Este será o próxima a fazer compras e assim
continua.

5. Se alguém não perceber que seu nome foi citado e por isso não se levantar,
será o que vai fazer compras.

 

ANÚNCIOS CLASSIFICADOS

Objetivos:

Apresentar pessoas que quase não se conhecem.

Material:

Papel e cante para cada um.

Como Fazer:

1. Cada participante recebe uma folha em branco e nela escreve um anúncio
classificado sobre ele mesmo, se oferecendo para um serviço, curso ou outra
coisa.

2. A folha não pode conter nome.

3. Os classificados são afixados na parede e os participantes devem ler os
anúncios e durante 20 minutos tentar descobrir quem são as pessoas anunciadas.

4. Em seguida o coordenador deve perguntar:

a) quem se reconheceu através dos anúncios classificados,

b) quantas pessoas pensavam se conhecer e descobriram que não se conheciam
direito,

c) como cada um se sentiu ao ver seu anúncio sendo lido pelos outros,

d) o que falta para que o grupo se conheça melhor.